quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Silêncio - variações sobre o mesmo tema

eu preciso de silêncio
de um frio que sobe pelos pés
que entranha a umidade das folhas
depois do segundo dia de chuva

eu preciso do silêncio
pra ouvir a variedade dos trinados
de pássaros
do bosque aqui perto

eu preciso de silêncio
pra chorar as mágoas
de todas as partidas
de todas as mortes  dos últimos anos

eu preciso do silêncio
para me agachar e tapar os ouvidos
fechar os olhos para o barulho
que grita em mim

eu preciso de silêncio
para pensar na palavra certa
e escrever a frase correta
para que, pelo menos, você leia

eu preciso do silêncio
para dominar a raiva
para estancar a ira
para descobrir o ódio

eu preciso de silêncio
por querer calar a voz
para poder perder a voz
para que tudo se transforme
em menos
que um sussurro

eu preciso do silêncio
para pensar na chuva caindo sobre o meu corpo
para me inundar do nada
para me encharcar do absoluto nonsense

eu preciso de silêncio
porque os caminhos se bifurcam
e não quero tomar uma decisão

eu preciso do silêncio
porque meu pensamento grita aqui fora
com dedo em riste
na minha frente
impropérios

eu preciso de silêncio
e é preciso dar um fim no poema
para que não se enlouqueça
para que não se eternize o caos que está em mim.


5 comentários:

Fernanda Coelho disse...

sempre maravilhosa, Karen!

Anônimo disse...

Você é demais.....cada vez mais!
Ana Cláudia R.

Leonardo B. disse...

[que palavra despojada se recolhe dentro da mão, em silêncio]

um imenso abraço, Karen

Leonardo B.

Zaratustra disse...

gostei

Carol disse...

Lindo lindo lindo!!!
Parabéns professora, sou sua fã!
beijoss
Carol Sant'Ana