domingo, 6 de abril de 2008

Homenagem a alguns

Rene Magritte capturado no Google Images

Quantos falsos
Palavras de pilhéria
Suspiros de lado com palavras-disparates

Quantos falsos
Adulações adocicadas
Protestos ma non troppo
Frases que contém desastres

Quantos falsos
Que gritam corretas atitudes
Que mastigam a sua própria arrogância
E cospem uma fragilidade fake

Quantos falsos
Parecendo vidros transparentes
Com rótulos de instruções serenas
Que espreitam pela queda
O deslize
O tropeço

Quantos falsos
E vão estender a mão
A outra escondida em figas
O sorriso do gato de Alice
Do alto do mais nobre falsete



(abril/2008)

3 comentários:

Camila Papali disse...

Karen, coloquei o seu blog no nosso "favoritos" ok?
Espero que não se importe.
E continue com suas visitas!
Abraços, Camila Papali

Anônimo disse...

Karen.
Fiquei apreensiva por ler vc escrevendo assim.
E fiquei tiste até não poder mais comigo.
Ainda assim,o poema é muito bom.
Vai ver que as coisas mais belas nascem das mais tristes mesmo.

Regina Krauss.

Cássia Aparecida Silva da Rosa Machado Cruz disse...

Karen, gostei muitíssimo do teu blog.
Amo teatro e dirijo um grupo de teatro amador.

Abraços