segunda-feira, 19 de março de 2007

Irmãs




As três irmãs das sombras, das vertigens, que escapam ao olhar, mesmo o mais perspicaz. As silhuetas difusas, que derramam a amargura e a veleidade do tempo. Talvez assim tão fixas, grudadas na tela como alguma sensação que escapou mesmo quando tudo estava sob controle. As irmãs azuis volta e meia explodem na retina. Sem significado aparente ou dia de sol. E mancham esta página de memória de mulheres. Elas também podem ser muita coisa em si mesmas - seres inanimados, pedra, velame, adaga - e sempre não ter a precisão de nada. E assim desmancham-se à nossa frente, a qualquer tempo.


foto de ivana debértolis

4 comentários:

Ivana disse...

eeeeeeeeeee!

MaicknucleaR disse...

Parabéns mocinha, muy bueno.

célia musilli disse...

Oi, Karen, andei sem internet, o pc foi pro estaleiro. mas estou de volta e já linkei seu novo blog.. tá bonito...um beijo

teatrofantasma disse...

gosto muito das fotos da Ivana...Elas me transportam para um lugar onírico e ao mesmo tempo muito próximo...O seu texto consegue captar isso...e vai um pouco mais longe...